sábado, 1 de novembro de 2008

CONCURSO

Convite

Meus camaradas, um dia desses recebi um convite muito bacana para escrever um poema para o folder do Concurso de Redação e Poesia, do Centro Universitário do Planalto de Araxá. O problema inicial era escrever "sobre encomenda"; logo depois outro problema: um poema de tamanho estipulado. O concurso é divulgado em todas as escolas da cidade, entre crianças e adolescentes. Gostei do exercício. Segue o poema.... Abraços!



Poema

A um toque das mãos ter as pessoas,
poder ver na vida delas nossa vida continuada.
Pioneiras que antes de todos foram ao fundo
e dele regressaram com avisos, precauções.

A um toque das mãos ter as pessoas,
ser feliz com elas enquanto transitam –
estendendo a fronteira de nossa alegria
às ruas onde não eram aceitos os nossos passos.

A um toque, para o bem ou para o mal –
ter algo quebrado quando se embrutecem,
ser ferido quando se atracam,
quando se estilhaçam, ter algo partido.

A um toque das mãos ter as pessoas,
poder viver nelas o que não nos foi possível –
em seus pulmões o ar que nos foi recusado.
Seus sonhos e os nossos em uma mesma sala.

A um toque das mãos ter as pessoas,
ver nossa vida em suas vidas continuada.

Arte: Soreg (Revista Letras e Etc)

*

16 comentários:

Francine Esqueda disse...

Ficou mais que ótimo!
Adorei o astral e estilo do seu blog, parabéns!
Apareça quando puder!
Obrigada pela visita!
Tenha um excelente fds!
Beijos

Barone disse...

Chego agora ao seu blog e que surpresa boa. Belíssimo o poema. Tem alma. Cheguei aqui por meio do blog Ponto Cego. Gracias a la net.
Abraços poéticos.

VeraBasile disse...

Oi Nolli!!!
Nossa! Que inspirado! Um poema encomendado, que virou uma tela repleta de cores e formas, ritmos e de uma sensibilidade a flor da pele.
Lindo demais! Parabéns!!
Bjs

Leila Andrade disse...

Um poema com um toque de singeleza como esse faz bem à alma, Nolli.
Beijão

Barbara Leite disse...

Olá Rafael, tudo em paz?
Pois é, o grande lance é aceitar das pessoas o que elas podem nos dar determinado tempo. e depois aceitar que tudo tem um tempo para findar. Mas que somos pessoas continuadas como vc bem disse, nas outras pessoas.

"fique o tempo que desejar
tudo isto é tão bonito
não precisa eternizar
para ser infinito"
Apreciado o seu cantinho!
Beijos

fred disse...

Encomendado ou não, é um ótimo poema, Rafael.
Abração

Jacinta Dantas disse...

E pensar que isso é possível. A um toque das mãos... tudo.
Bonito demais, rapaz!
Um abraço

Barone disse...

Olá Rafael.
Você toparia participar de um blog nos moldes do Manufatura (uma postagem de poema por mês)? Estou desenvolvendo algo no gênero, com algumas modificações na idéia inicial. Tentando trazer gente talentosa e comprometida a postar com assiduidae. Gosto muito da sua poesia e queria te ter no projeto. Me de um alô.

. fina flor . disse...

o essencial toque.

beijos, querido e boa semana

MM.

Barone disse...

Fico feliz que tenha aceitado participar. Estamos convidando a turma com bastante cuidado. Bom então de um pulinho lá no blog http://poemadia.blogspot.com/ e escolha o dia de sua preferência (me avise e mande um email para victor.barone@globo.com, asim posso te mandar o convite do blog). Se você tiver algum livro publicado temos tbm um espaço de divulgação, é só mandar um release.

Sobre o Mapa. É impressionante como as pessoas são covardes. É cada caso de arrepiar.

Barone disse...

Rafael, tendo escolhido seu Dia me avise ok? Se quiseres posso pegar foto e perfil no Manufatura. abraço. Se tiver alguém para indicar (gente com compromisso na postagem), por favor indique. Um abraço.

Barone disse...

A poesia é um ato solitário, fruto do que há dentro de nós. Nesta segunda-feira, um projeto simples pretende imprimir na solidão da poesia um sentimento de coletividade, de coisa feita ombro a ombro. Trata-se do projeto Poema Dia, um blog (http://poemadia.blogspot.com/) no qual cada dia do mês é adotado por um poeta ou mini-contista que, neste dia específico, posta um trabalho de sua autoria.

Nossa nau partiu nesta segunda-feira (1º de dezembro) com 15 tripulantes, outros embarcarão pelo longo caminho. Singraremos os mares bravios da literatura e da sensibilidade. Convido-os a compartilhar esta viagem conosco.

Flávia disse...

Uau!! Por encomenda ou não, vc mandou muito bem. Esse trecho "A um toque das mãos ter as pessoas,
ver nossa vida em suas vidas continuada" foi uma grande sacada.

Beijos!

compulsão diária disse...

Cheguei via Poema dia. surpresa com a vida nas mãos e a força dos versos.

Ceci disse...

Concordo com a Flavia, "A um toque das mãos ter as pessoas,
ver nossa vida em suas vidas continuada"
ficou muito bonito, e significativo... refrão para o coração. Abraços e obrigada por passar no Viver Melhor
Ceci

Vieira Calado disse...

Também não gosto de escrever sob encomenda.
Mas você saiu-se muito bem!

Um abraço.