quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

POEMA # 2

Foto: Rogério Felício: http://imagensdapoesia.blogspot.com/


POEMA # 2
para rafael borges martins


: impossível sem quebrar uns ossos,
talvez alguns golpes de navalha na face
(como um imprudente zagueiro
ou um barbeiro louco).

: improvável sem queimar algumas casas,
talvez algumas pessoas em praça pública
(como se fazia em nome de Deus
ou de homens alçados a).

: fora de cogitação sem pessoas,
talvez algumas que não existam
(como aquelas dos romances antigos
ou dos sonhos razoáveis).

: impensável sem amor pela vida,
talvez por uma mulher ou por um cão
(como se vê na rua aos sábados
ou nos bares à noite).





*

24 comentários:

fred disse...

Muito bom poema, Rafael.
Abração

Héber Sales disse...

: tentar o indizível.

abração!

. fina flor . disse...

adorei!!

também acho tudo isso bem improvável e impossível.

um dos poemas que mais gostei de ler aqui.

e a foto, well, sou suspeita para falar desse moço.

beijos, querido

MM.

Samantha Abreu disse...

putz, Nolli.
Esse eu queria demais ter escrito.
Ainda com tuas acidez, mas é possível ver, no fundo, uma docilidade incrivelmente realista.
Como não gostar?

Um beijO!

Barone disse...

Gostei muito deste poema.

Helder Herik disse...

o pior é que se queimavam as pessoas "em nome de Deus".

abração camarada

Rogério Felício disse...

Que felicidade ver umas das minhas fotografias acompanhada de um belo texto...
Adorei.

Obrigado :)

adelaide amorim disse...

Sempre muito bom passar aqui.
Desejando um novo ano de sucesso e alegrias, com um beijo.

jorge vicente disse...

rafael, gostei muito. mas muito neste texto. posso dizer que a poesia é a loucura, o adeus à humanidade, a morte, o genocídio.

mas também a vida, o alvorecer da vida, o solo.

ou seja, é tudo. só somos poetas se conseguirmos passar toda a humanidade para o papel. a boa e a má.

um abraço forte
jorge vicente

Caim disse...

Improvável...

. fina flor . disse...

querido Nolli,

hoje passo somente para desejar que seu natal seja doce como o perfume das rabanadas e que seu "dois mil e love" seja repleto de gratas surpresas!!

beijos,

MM.

ADRIANO NUNES disse...

Caro poeta,

Bom poema.


Abraço.
Adriano Nunes.

Flávia disse...

impensável e impossível, mas... desejvável, utopicamente desejável.

Beijos, moço, feliz 2009 pra vc!

FELIPE CERQUIZE disse...

Seus poemas são ótimos, Rafael.

Um abraço,

Felipe

Miguel Barroso disse...

Bom jogo de palavras. Muito bom blog. Parabéns.



Abraços d´ASSIMETRIA DO PERFEITO

Jacinta Dantas disse...

Impossível, improvável, fora de cogitação, impensável amar sem Amor, viver sem poesia.
Beijos e Tudo de Bom no novo ciclo que se inica.

sp disse...

Parabéns!
Obrigado...
Gostei muito!
Um abraço.

Nadezhda disse...

Passei para agradecer a visita!
Não li todo o blog, mas gostei do que li e da imagem desse post também!

;)

Adriana disse...

Conheci seu poema no blog "Poema dia" e me encantei. Gosto do seu jeito de dizer as coisas. Voltarei.

Leila Andrade disse...

Que belo, Nolli.
Delícia de poema.
Aproveito e deixo também meus desejos bons para você no novo ano.
Muita poesia!!
Beijão

joão pedro wapler disse...

muito bom mesmo.
gostaria que tu conhecesse o meu blog:
www.poesiaimoral.zip.net

Graça Carpes disse...

Impensável!
:)

Lord of Erewhon disse...

Esse é muito bom, sem dúvida.

Rafael Borges disse...

Muito bom Nolli, sinto-me lisongiado com essa dedicatória...
PS: Já li várias páginas do seu livro, estou gostando bastante...
Valeu meu camarada!