sexta-feira, 27 de março de 2009

Memórias à Beira de um Estopim

capa e contra-capa do livro com ilustração de Hugo Martins


IV
28/08/03
____Nem parece que há horas atrás carros-bomba e homens-bomba se misturavam nos noticiários, entre propaganda de cigarros e furos de reportagem. A cidade dormente mal lembrava que, entre estilhaços e concretos, o terrorismo consolidava-se dentre os feitos decorrentes do século.
____Na cidade noturna, os homens esquecem que os bombardeiros e as balas perdidas são os únicos exemplares de aves que nos restou; que os navios e submarinos são os únicos peixes que nos sobraram.
____(Esses homens, quando acordam sobressaltados no meio da madrugada, põem-se a fornicar, por que, para eles, a noite existe somente para se reproduzirem. Esses homens despertarão cedo, antes da alva, como se o amanhã fosse previsível e a morte uma impossibilidade.)


_____________________

*

19 comentários:

future mantra disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Ricardo Valente disse...

... e tá muito bommm. Abraço!

Tenório disse...

Meu camarada, vou querer esse livro. Como faço?! Anota meu e-mail aí e me manda os procedimentos. ticavalcanti@terra.com.br

Abração fera!

Adriana disse...

Muito boas as imagens desse capítulo. Dá uma noçao do que deve ser o livro. Depois entro em contato. Bj

apesardoceu disse...

esses homens tão sempre dormindo..
foda..

bala, véio..

bração

Barone disse...

Quero um meu velho, como faço?

Flávia Muniz disse...

Rafael, tu mora aonde?
interessei no teu livro também.


bj

J.F. de Souza disse...

Grande Nolli e seus escritos bombásticos! Taê um cara cujos escritos tem muito mais força que os meus! Se bem que os meus poemas foram feitos apenas para provocar pequenos cortes... =)
Aliás, preciso voltar a folhear teu livro! Desse escrito eu já não lembrava... Não posso deixar essas coisas esquecidas, de forma alguma!

1[]!

Cássio Amaral disse...

Brother, valeu seu molotov e seu estopim.

Abração.

diovvani mendonça disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
diovvani mendonça disse...

Camarada Rafael,
Bom d+ aspirar a fumaça que exala de suas letras de fogo.
Já li e tresli o seu livro, ainda bem que foi antes dele encantar (ou hipnotizar, sei lá)ganhar os olhos de não sei quem, que o mantém aprisionado não sei em que estante - só sei que até o momento não chegou às minhas mãos. Mas, tb é bom que o livro ganhe estrada, né? Aproveitando que você ainda tem alguns exemplares, favor me enviar outro exemplar. Mande os seus dados no diovvani@yahoo.com.br

Montanhoso abraço.

Lord of Erewhon disse...

«Esses homens, quando acordam sobressaltados no meio da madrugada, põem-se a fornicar, por que, para eles, a noite existe somente para se reproduzirem. »

Que lapalissada, meu caro.

Judô e Poesia disse...

Muito bonito este recanto virtual, íntegro, é a palavra. Incluí entre meus favoritos. Abraços. Domingos.

Anônimo disse...

Nolli(te lendo sempre e passando para te dizer que é sempre bom ler textos bons como o teu.Abaraço saudoso.

livia disse...

bom estar aqui te lendo.texto como sempre,forte,visceral.Gosto muito.O anonimo acima(ou abaixo)f] é meu).abraço saudoso.livia.

Helena disse...

Está sendo uma bela experiência participar do poemadia e conhecer blogs de poetas excelentes como você.

grende abraço e parabéns,

Helena

Renata de Aragão Lopes disse...

Ei, Nolli!
Também tenho interesse em adquirir um exemplar. Como devo proceder?

Ps: postei, hoje, em meu blog, um poema antigo, escrito na noite em que fui vítima de roubo no Rio de Janeiro. Talvez seja o meu poema mais revoltado até então! Note como minha revolta está aquém de suas rajadas de metralhadora! rs

Seu estilo é realmente ímpar.

Adriana disse...

Rafael, só pela palhinha do texto, sinto que gostarei...

Linda Graal disse...

o livro é muito bom! ;)