domingo, 1 de novembro de 2015

Aos poucos minando a força que possuía

O veado ferido, Frida Kahlo, 1946,


1
O marlim enfim descansa no assoalho do barco
com a barbatana partida por um tubarão e
diversas cicatrizes de outros encontros.
Um anzol já enferrujado preso à boca –
talvez de um embate com Hemingway.
Ter cruzado os oceanos com todas as marcas
será o último relato de tudo que
foi aos poucos minando a força que possuía.

2
O corpo do cervo caído
em pouco tempo não guardará as suas marcas
senão o fêmur partido por um urso
e a ponta da seta cravada entre as costelas.
No chão da floresta, brancos de susto,
seus ossos serão o último relato de tudo que
foi aos poucos minando a força que possuía.

3
O casamento minando aos poucos.



Rafael Nolli, 30/09/2015

Um comentário:

Cássio Amaral disse...

Sim minado, sair dele penso para reve-lo. Como disse o Heleno Álvares: "O que mata o casamento é o próprio casamento".
Abração.