terça-feira, 5 de outubro de 2010

Fragmento

Ossada. foto rafael nolli


Camaradas,

eu sei: eu sou previsível como um rio:

em meu curso haverá esgotos,

matadouros, indústrias, encanações horrendas,

desmatamentos e cadáveres de suicidas.

Previsível como um rio:

por mais que me contenham, represem-me e me façam diques,

eu hei de escapar por sobre as bordas!



* Fragmento do poema "Sinfonia n 1 para guitarra, fuzil e baioneta" de 12/08/02

19 comentários:

carmen silvia presotto disse...

Feito um rio fluirás!!!

Um abraço poético.

isaias de faria disse...

sua poesia tem sangue revolucionário, nolli. isso é bom.
essa semana vi um doc. chamado:"capitalismo, uma história de amor" interessante as observações do diretor michael moore. acho q ia ser útil p seus alunos. nada muito hermético.
abraço meu amigo

Albuq disse...

Me senti na história, por entre a força deste rio.
Perfeito!

Larissa Marques disse...

nunca me arrependo de ler-te, Nolli!
inspira-me!
beijo!

Luciana disse...

Nossa,que lindo!
Acho que eu tbm sou previsível como um rio.

Anônimo disse...

sim, como um rio.
camarada o que nos resta é a revolução do rio. grande poema.

Adriana Godoy disse...

E um rio forte e belo. Lindo, lindo, Nolli! Beijo

Nini C . disse...

Putz, perfeito. To seguindo.

obeservadora disse...

um rio maravilhoso,vasto e caldoloso que faz parte de algo maior,porque segue seu rumo a te o mar bjos ador seus poemas

Paola Vannucci disse...

A vid corre como um rio frenético,adorei

beijos

Maria disse...

também sinto-me assim...

jorge vicente disse...

És um fuzil de versos! Potente!

grande abraço, camarada!
Jorge

Fabrício Brandão disse...

"Escapar por sobre as bordas", nossos desvãos. Bacana, Nolli! Versos lúcidos!

Abração!

ju rigoni disse...

Rafael, do poema original nos deste um magnífico fragmento. Muito bom ler esses versos nesse momento.
Nada detem o poeta.

Bjs e inté!

PapoPoetico disse...

Estive lá lendo seu texto pro Bandeira e me ocorreu que você deve gostar do Gullar, não?
Tudo de bom

Glauber Vieira disse...

Como os outros, gostei também.
Creio, porém, que faltou o "m" no título... vc quis dizer "fragmento", né?

Um abraço!

L. Rafael Nolli disse...

Glauber, meu camarada! Tem toda a razão! E olha que eu li esse post umas duas ou três vezes e não havia percebido o deslize! Valeu pelo toque!

Graça Carpes disse...

Transbordante!

Marcio Nicolau disse...

inteira a poesia. Intensa até os ossos! Transborda.