sábado, 10 de junho de 2017

A casa – ou outra coisa – em ruínas

(uma crônica)

1
a princípio a casa parecia sólida (era uma vez...).

as primeiras rachaduras foram esquecidas debaixo de quadros e uma nova demão de tinta – com uma nova cor – solucionava brevemente a questão.

depois, fendas maiores que se mostraram exigiam ferragem & argamassa – ossos/tijolos de uma fratura exposta (e a ferrugem era óbvia).

e vieram técnicos de toda laia com seus laudos de diversas laudas:

o solo possivelmente era impróprio – uma estrutura calcária cedendo à ação da água;

possivelmente tudo se erguera – sem que se suspeitasse – sobre um antigo depósito (mal compactado) que cedia lentamente.

2
na impossibilidade de se fazer algo, espera-se que quando vier ao chão, todos já tenham se mudado
– ou estejam dormindo.

Nenhum comentário: